A zona de conforto não é necessariamente um lugar confortável.  Já reparou?

Esse “lugar” que chamamos de zona de conforto, na verdade, é a junção de uma série de mecanismos de defesa que nós construímos involuntariamente para lidar com nossos medos.

Esses medos podem ser de vários tipos e cada um deles pode ser sintomático de uma zona de conforto. Por exemplo: o medo de criar conteúdo, a síndrome da impostora, o medo de mudar de profissão…

Então, o que fazer com a minha zona de conforto?

Primeiro e mais importante passo: não se culpabilize Um ótimo primeiro passo é excluir a culpa do processo e entender que esse é um mecanismo de defesa natural e inclusive necessário para o processo de cura dos nossos medos.