Como anda esse nível de cobrança por aí?

Na criação de conteúdo, no trabalho, com os filhos, com os amigos ou com nós mesmos, a cobrança é sempre um denominador comum. Nunca nos achamos bons ou pront@s o suficiente. Se identifica?

Será mesmo que você precisa fazer tanta coisa a mais para, daí sim, se autorizar a dividir seus pensamentos com mais gente, se colocar no mundo, experimentar ter uma presença no digital, se inscrever naquela vaga de emprego, ousar dar passos maiores?

A síndrome da impostora é real - e lidar com ela é urgente. Talvez se a gente se olhasse com a generosidade com a qual a gente olha para quem a gente gosta, avançaríamos algumas casinhas

Sempre que você pensar em mirar em padrões inalcançáveis de produtividade e cobrança, que tal se questionar: 

Será que eu preciso mesmo de tudo isso para me autorizar a fazer algo?