comunidades digitais

3 tipos de

que valem

a pena cultivar

As comunidades funcionam como a nossa rede de apoio no digital. É através desses grupos de pessoas que conseguimos trabalhar, aperfeiçoar o nosso conteúdo e gerar valor nas interações que construímos.

As comunidades de troca funcionam como uma pequena amostra das nossas relações interpessoais, só que no digital. Nelas, costumamos criar vínculos mais duradouros e íntimos com quem faz parte. Exemplos: grupos de amigos ou até comunidades formadas por influenciadores que mantêm uma relação mais verdadeira e transparente com seus seguidores.

Comunidades de troca:

Comunidades de acolhimento:

As comunidades de acolhimento são sinônimos de rede de apoio. Geralmente elas surgem em volta de uma grande temática em comum. Exemplos: grupos de mães, de trabalho, comunidades que tem como foco feminismo, transição de carreira, envelhecer melhor, entre outras.

Comunidades de ação:

Essas comunidades são excelentes para quem está começando um movimento ou um novo negócio online. É por meio delas que conseguimos dar grandiosidade aos nossos projetos e encontrar pessoas verdadeiramente engajadas nas nossas causas. Exemplos: comunidades de ativismo, grupos de cidades e de bairros, entre outros.