#ainternet
queagente
quer_boas práticas para o home office e o trabalho híbrido

 

imagem grande
imagem pequena

Escute este conteúdo:

Em 2020 o home office tornou-se realidade para muitos trabalhadores em todo o mundo. No Brasil, pelo menos 46% das empresas dos principais setores de ocupação adotaram o modelo (com flexibilizações) pelo menos entre março e agosto do referido ano, segundo dados da Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise Covid-19, elaborada pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Quase 10 meses após o início da maior crise sanitária no país, ainda precisamos refletir sobre o cenário que nos impede de retornar totalmente aos escritórios e à rotina pré-pandemia: o que fica de aprendizado? Como podemos equilibrar o digital e o bem estar? O modelo híbrido de trabalho veio para ficar? 

O contexto do home office no Brasil

O cenário da pandemia do novo coronavírus fez com que o digital passasse de um meio auxiliar de trabalho para a principal ferramenta de mediação das nossas relações nesse âmbito: as reuniões presenciais foram substituídas por salas virtuais e a pausa para o cafezinho no fim do expediente com certeza ficou mais solitária. No Brasil, a passagem de um modelo presencial para uma forma 100% online de trabalho não foi uniforme e nem adequada para todos os trabalhadores que puderam aderir ao formato.

Um estudo realizado pelo Instituto de Tecnologia da Universidade de Massachusetts apontou que o país ocupou o quinto lugar no ranking de dificuldade na implementação do modelo durante a pandemia. Para os pesquisadores, os principais desafios das empresas brasileiras no contexto do home office foram: 

  • População com acesso à internet com uma velocidade média de 24 mbps (considerado abaixo da média para o modelo de trabalho); 
  • 47% das famílias brasileiras têm moradores com menos de 15 anos de idade, o que dificulta a relação dos adultos com o home office; 
  • A falta de informações acerca do percentual de profissionais empregados que têm experiência com home office ou modelos híbridos de ocupação. 

Além dos problemas estruturais, questões como distrações causadas pelo ambiente familiar, alta cobrança por produtividade, gerenciamento do tempo e acúmulo de tarefas (domésticas e profissionais, principalmente para mulheres) também caracterizaram as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores. 

Diante desse cenário, como manter as boas práticas para uma relação menos caótica com um modelo de trabalho que ainda promete se estender por boa parte de  2021? 

IMG: Boas práticas e trabalho híbrido: para fomentar o bem estar e lidar com as expectativas

A primeira coisa que precisamos entender antes de discutir as boas práticas para a continuação de um formato de trabalho que já pode soar desgastante para alguns é ter a consciência de que a pandemia ainda não acabou – mesmo com a iminente liberação da imunização da população graças ao desenvolvimento e a aprovação de vacinas. Isso porque, além das ordens prioritárias de vacinação, a fragilidade do sistema de saúde pode obrigar empresas e setores de trabalho a adotarem períodos híbridos, mesclando home office e jornadas presenciais, até que os padrões de segurança sanitária estejam totalmente restabelecidos. Entendido isso, e com as expectativas alinhadas sobre o possível enfrentamento de mais períodos longe dos escritórios e das interações presenciais, vamos ao guia atualizado de boas práticas para 2021! 

  • Produtividade: 

A regra sobre consistência ser mais importante que volume continua valendo quando o assunto é produtividade. Lembre-se: você não conseguirá produzir nada com qualidade se estiver exausto. Aposte em rotinas de trabalho que mesclem e considerem o seu ritmo, as atividades extra profissionais (casa, filhos, estudo) e, sobretudo, o seu tempo de descanso. Uma ótima dica para manter uma relação saudável com a produtividade durante o home office é aplicar a Técnica Pomodoro: liste (de forma realista) as suas tarefas diárias e tente realizá-las em blocos de 25 minutos de trabalho com 5 minutos de descanso para cada bloco finalizado. Ao fim de três ciclos, faça uma pausa maior de 15 minutos. Repita quantas vezes achar necessário.

  • Ambiente de trabalho: 

Ter um escritório ou um ambiente separado do resto da casa para o trabalho ainda é uma realidade de poucos, mas também já aprendemos que é imprescindível manter um ambiente minimamente organizado para que a nossa concentração seja melhor aproveitada e para que os limites entre casa e trabalho não sejam totalmente apagados. Se você não possui um espaço reservado de trabalho, tente cortar as distrações e dispersões do ambiente no qual você costuma trabalhar. Lugares limpos, sem muito acúmulo de objetos e arejados costumam melhorar a experiência do home office e ajudar a mente a continuar focada. 

  • Autocobrança: 

A autocobrança pode ser um fator crucial na sua relação com o trabalho remoto ou híbrido. Lembre-se: nós ainda estamos em um momento atípico e sob condições difíceis de trabalho. Tente se manter focado na realização das tarefas, e não apenas no resultado final, no acúmulo de atividades ou na comparação com colegas de trabalho. 

  • Protocolos de segurança para o trabalho híbrido: 

Se você começou ou está prestes a começar uma rotina de trabalho híbrido (parte presencial e parte remoto) é essencial continuar seguindo os protocolos de segurança e autocuidado. Não podemos abrir mão do uso de máscaras, do álcool em gel e continuar praticando o distanciamento social até que os protocolos de segurança sanitária estejam restabelecidos. Essa é a principal dica de bem estar nesse contexto! Para isso, não esqueça de: 

  • Fazer uso de máscaras em transportes públicos, vias públicas e locais com presença de outras pessoas e ventilação; 
  • Procurar manter o seu escritório/sala e material de trabalho sempre higienizados;
  • Evitar aglomerações presenciais não necessárias, como happy hours; 
  • Evitar cumprimentar colegas de trabalho com muita proximidade ou com abraços/apertos de mãos; 
  • Compartilhar objetos de trabalho, como fones, teclados ou mouses. 

E por aí, quais são as suas expectativas com relação ao trabalho em 2021? Quais dessas dicas você já colocava em prática durante o ano passado? Se você acha que esse guia pode ser útil para colegas e equipes de trabalho, compartilhe! 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *